26 dezembro 2014

Resenha | O Mago de Camelot - Marcelo Hipólito

Olá amores, como estão?

A resenha de hoje é pra quem gosta de histórias medievais, reis, rainhas e magos.

Pois bem, O Mago de Camelot foi lançado em 2013, escrito por Marcelo Hipólito e é mais um dos nacionais que ocupam minha estante. Meu exemplar eu adquiri na bienal de SP em agosto desse ano e foi o último livro que comprei no dia, hahaha. O autor também possui outros livros de sua autoria, tais como: Lúcifer - O primeiro anjo (2006) e Osíris - Deus do Egito (2009), espero ter a oportunidade de ler esses títulos também. No site do Marcelo encontrei a seguinte citação:


Além disso, é coautor de diversos contos publicados em língua inglesa, nos Estados Unidos, Reino Unido e Espanha, dentre os quais se destaca Eternal Grief, indicado para melhor conto de horror nos Estados Unidos, em 2003, pelo Preditors & Editors Readers Poll. Hipólito é também diretor de três filmes de curta-metragem de ficção, roteirista de cinema e produtor de teatro. 

Bacana, né? Agora vamos a resenha...


 


Ficha técnica

× Título: O Mago de Camelot - A Saga de Merlin para Coroar um Dragão
× Editora: Novo Século - Novos Talentos da Literatura
× Páginas: 151
× Edição: 2013
× Autor: Marcelo Hipólito

Sinopse


De uma infância pobre e sofrida à irresistível ascensão aos salões dos grandes reis; de um começo sem esperanças ao despertar de um poder inigualável e temido, Merlin vem a se tornar o homem mais influente da Idade das Trevas. Confidente supremo do rei Artur e maior conselheiro da corte de Camelot. Misterioso e enigmático. Amado e odiado. Druida, monge e mago.

Na Britânia do Século V da Era Cristã – abandonada pela queda do Império Romano à barbárie dos invasores saxões –, Merlin surge para impor um novo tipo de rei a um povo abatido e desesperado, alterando, para sempre, não apenas o destino dos britânicos, mas de toda a humanidade.

A saga de um homem determinado a erigir uma civilização de paz e justiça numa terra devastada pelo caos e pela guerra irrompe em uma aventura épica e brutal que equilibra realismo duro com doses amargas de magia.

• Resenha



Como puderam notar, o livro é bem curto, porém sua história conta um cenário extenso desde muito antes do nascimento de Merlin até depois de sua queda. Não digo que a história é ruim, pois não é, porém os acontecimentos são narrados superficialmente, deixando de lado muitos detalhes que, creio eu, o leitor gostaria de presenciar. De forma geral a narração é frenética, repleta de tramas, batalhas e mortes. 

PERIGO DE SPOILER


O personagem principal é Merlin que passa de um menino pobre para um dos mais poderosos magos da Idade das Trevas depois de absorver todos os ensinamentos Druidas de seu mestre Blaise e diversos estudos sobre outras religiões, tornando-se não só um mago, mas também um monge. Além de seu poder visivelmente maior, Merlin possui uma inteligência notável, o que lhe permite persuadir seus alvos com facilidade. 

Em um de seus planos para "ajudar" um rei, Merlin lhe pede seu primogênito como pagamento e o leva para si logo após seu nascimento. A criança, mais tarde, vem a se tornar o Rei Artur e a fundar Camelot sob os conselhos de seu fiel conselheiro e tutor com o objetivo de criar um reinado de justiça e paz para todos. Dentre todos os fatos que ocorrem, Merlin sempre esteve manipulando eventos externos em benefício próprio, exceto em relação a Artur, pelo qual o mago preza o bem estar. 

Em si o livro não possui uma narração tão cativante quanto eu achei que teria, visto que seus eventos são passados com muita rapidez. Senti que as 151 páginas era um resumo detalhado de uma grande saga, onde seus acontecimentos foram citados vagamente apenas para que você tenha "noção" do que se trata.

A arte da capa, apesar de não aparecer nenhum dragão na história como podemos pensar, é bem trabalhada de acordo com o tema. No dia da compra eu cheguei a perguntar se era um livro único ou se era o primeiro de alguma saga e a atendente respondeu "É o único, mas esperamos que lancem mais." Mas pelo final apresentado deve ser apenas esse volume já que todos morrem - basicamente. Não cheguei a pesquisar sobre possíveis continuações, então, caso você saiba de algo, deixe nos comentários <3

AH! Uma coisa que acho bem importante quando a história se passa em um vasto território é a apresentação de um mapa da época e ele vem com o mapa nas primeiras páginas!

Nota:
       

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário contribui para o crescimento do blog!
Deixei sua marca aqui <3