08 janeiro 2015

Resenha | O diário de Anne Frank

Olá amores, tudo ok?

A resenha de hoje é sobre um clássico que tenho muita compaixão e gostaria de dividir minha opinião com vocês.

O Diário de Anne Frank teve sua primeira publicação em 1947, pouco depois do fim da Segunda Guerra, após passar por várias perícias afim de provar sua autenticidade. O diário foi escrito entre o período de 12 de junho de 1942 até 01 de agosto de 1944 em Amsterdã, durante a ocupação nazista nos Países Baixos. Após o fim da guerra um dos amigos da família, que os escondia num sótão de um edifício, entregou o diário de Anne a seu pai, Otto H. Frank quando este retornou de um dos campos de concentração local.

A publicação do diário de Anne ocorreu devido a uma campanha com objetivo de registrar historicamente os ocorridos no período de guerra e isso envolvia também os diários. Seu pai, diante dessa campanha entregou, então, o diário da filha para o orgão responsável.



× Ficha Técnica

× Título: O diário de Anne Frank
× Editora: Record
× Páginas: 317
× Edição: 1995, 1996, 2014 (imagem)
× Autor: Anne Frank


Sinopse

O depoimento da pequena Anne Frank, morta pelos nazistas após passar anos escondida no sótão de uma casa em Amsterdã, ainda hoje emociona leitores no mundo inteiro. Seus diário narra os sentimentos, medos e pequenas alegrias de uma menina judia que, com sua família, lutou em vão para sobreviver ao Holocausto.Lançado em 1947, O Diário de Anne Frank tronou-se um dos maiores sucessos editoriais de todos os tempos. Um livro tocante e importante que conta às novas gerações os horrores da perseguição aos judeus durante a Segunda Guerra Mundial.Agora, seis décadas após ter sido escrito, este relato finalmente é publicado na íntegra, com um caderno de fotos e o resgate de trechos que permaneciam inéditos. Uma nova edição que aprofunda e aumenta nossa compreensão da vida e da personalidade dessa menina que se transformou em um dos grandes símbolos da luta contra a opressão e a injustiça. E consagra O Diário de Anne Frank como um dos livros de maior importância do século XX. Uma obra que deve ser lida por todos, para evitar que atrocidades parecidas voltem a acontecer neste mundo.


Resenha

Em seu ultimo aniversário, Anne ganha um diário como presente, dias antes de fugirem para o "Anexo", - forma como Anne cita o esconderijo em seu diário - e o leva consigo. Visto que passaram a viver em torno do silêncio, por medo de serem descobertos e entregues aos alemães nazistas, ela passa a dedicar seu tempo a escrever, porém após ouvir no rádio que diários e memórias escritas no período de guerra poderiam ser publicados como documento histórico é que Anne passa a escrever com maior frequência, tentando registrar um pouco de tudo.

Anne não é uma menina de 13 anos doce e meiga, mas sim muito ousada e firme, disposta a enfrentar o que vier para alcançar seus objetivos, algo que a diferencia de sua irmã, Margot. Apesar da pouca idade, ela retrata sentimentos profundos em seu diário, muito além de simples pensamentos adolescente.

Sem poderem sair do Anexo para comprar mantimentos, os refugiados dependem de bons cristãos que os abastecem com o que podem, desde latas de ervilhas até produtos de higiene e assim, dia após outro, Anne retrata os diversos acontecimentos em seu diário. Reféns do medo, rezam para que o fim da guerra chegue logo e que não venham a serem capturados a mercê de um campo de concentração.

O Diário de Anne Frank é um livro que cheguei a ler tarde, mas sempre esteve entre meus desejados. Minha edição comprei em um sebo, de 1974, bem velhinho e cheirando a pó - algo que adoro em certos títulos -. Não cheguei a ler as edições mais recentes, então não sei se o linguajar varia muito.

Eu, realmente, fiquei muito tocada com os registros de Anne e julgo impossível não sentir compaixão ao decorrer dos fatos. Desde o inicio tive um sentimento de impotência em saber que eu, por não ter nascido na época nem no local, não pude ajudar de alguma forma do mesmo modo que a indignação esteve presente ao saber do que o homem é capaz. Creio sermos a única espécie estupida o suficiente para declarar guerra ao seu próprio povo e assim dizimar-se por vãs riquezas.

É de se entristecer ao tomar conhecimento do que muitas pessoas passaram nesses anos obscuros que foram os anos de guerra e essa obra nos faz refletir muito sobre o que é ser humano. Por esse e outros motivos tenho muito respeito por esse livro e creio que todos deveriam tê-lo em suas estantes.

• SPOILER 

Fiquei arrasada quando o anexo foi descoberto pelos militares nazistas e Anne e sua família enviados a diferentes campos de concentração, pois eu gostaria muito que eles permanecessem ocultos em Amsterdã até o término da guerra.

Eis uma obra que indico a todos os públicos e idade, para que através dela possamos refletir ainda mais sobre os erros de nossa humanidade e, talvez assim, conter o eco negativo no futuro.


Fortuna, fama, tudo podes perder, mas a felicidade do coração, ainda que por vezes esteja obscurecida, torna a vir enquanto viveres. Enquanto puderes erguer os olhos para o céu, sem medo, saberás que tens o coração puro, e isto significa felicidade. - O diário de Anne Frank 



NOTA
       
 ★


15 comentários:

  1. Quero muito comprar este livro já faz um tempo. Agora com sua resenha, quero ainda mais!! Amei!!!
    www.saladadelivro.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Ana <3 que bom que gostou, esse livro é uma reflexão de vida!

      Excluir
  2. Meu Deus, você só fez a minha vontade de ler esse livro aumentar! Ótima resenha, aliás gostei muito da citação que você deixou aqui por último...
    Beijo.
    Choque Literário

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Luiza! Que bom que gostou e obrigada pela visita! Creio que irá gostar da leitura <3

      Excluir
  3. Quero muito ler esse livro , mas tenho enrolado... Acho que vou parar de enrolar kkk
    beijos !
    http://www.sushibaiano.com/2015/01/inspiracoes-de-estantes.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Amanda! Não vai se arrepender da leitura, são reflexões para se levar no coração =} <3

      Obrigada pela visita!

      Excluir
  4. Oi, tudo bom?
    Me envergonho de dizer que não consegui ler esse livro! Talvez ainda não fosse o momento, não sei, mas eu não consegui. Vou tentar de novo com certeza! Adorei sua resenha :) beijos!
    http://resenhandoaarte.blogspot.in/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Aliscia! Não se envergonhe não! A leitura realmente não é tão emocionante como costumamos ler em ficções e sagas, por isso muitos acabam abandonando, mas se fizer uma forcinha para terminar não vai se arrepender <333

      Obrigada pela visita!

      Excluir
  5. A história deste livro é muito triste, Anne foi uma das melhores personagens reais, adorei acompanhar a jornada dela!
    Beijo,
    http://pactoliterario.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo com você! ;}

      Obrigada pela visita <3

      Excluir
  6. Quero muito ler esse livro, e sei que vou me emocionar muito. Sempre quando vejo alguma resenha sobre ele já sinto um negócio...

    http://www.sushibaiano.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Creio que irá gostar sim, as palavras de Anne são memoráveis =}

      Obrigada pela visita <3

      Excluir
  7. Oi Ju. Td bem? Eu amei esse livro e tenho uma certa queda sobre fatos da 2ª GM, não me canso de dizer isso. Li ele por recomendação de uma professora e adoooooreiiiii. Bjs
    Te indiquei para uma tag: http://folheandominhavida.blogspot.com/2015/01/tag-liebster-award.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Bela! Estou bem e você? <3 então somos duas, pois também gosto de tudo relacionado a primeira e segunda guerra. Esse é mesmo um ótimo livro.

      Obrigada por indicar amore <3 ja ja passo no seu blog pra conferir!

      Excluir
  8. Sabe me dizer qual dessas 3 edições , e aquele que fou publicada depois que o pai dela morreu ??

    ResponderExcluir

Seu comentário contribui para o crescimento do blog!
Deixei sua marca aqui <3